Quarta, 14 de março de 2018, 08h42
Tamanho do texto A- A+


Política / 300 anos

IPDU desenvolve vários projetos de mobilidade urbana e revitalização de Cuiabá

Ao Mato Grosso Noticias, o presidente do Instituto cita obras que vão mudar a vida dos cuiabanos

“O IPDU tem um papel muito importante de subsidiar tecnicamente todas as secretarias do município de Cuiabá. Nós desenvolvemos vários projetos, dá esse apoio técnico e auxilia na tomada de decisões. É um papel que não aparece muito, porque a tomada de decisão é feito lá na ponta, ou seja, na própria secretaria. O munícipe não vê muito o nosso trabalho, mas ele sente positivo ou não, a partir das decisões que as outras secretarias tomam”.

A declaração é do presidente do Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano de Cuiabá (IPDU), Márcio Puga, em entrevista ao Mato Grosso Notícias.

Dentre as ações pensadas e idealizadas nos últimos meses pelo IPDU são as obras de mobilidade urbana e infraestrutura que mudarão a vida da população cuiabana no que tange ao trânsito.

“Hoje nós experimentamos um grande problema de trânsito. Quem passa na Avenida Beira Rio depois das faculdades, no horário de pico, sabe da dificuldade que é trafegar naquele pedaço. Então, pensamos em algumas soluções já com obras de desobstruções e também um viaduto para aquela região. Isso pensado pelos técnicos do IPDU e sugerido a secretaria de mobilidade urbana que concordou e daqui para frente começa o desenvolvimento da ideia em si. Essa proposta já está protocolada em Brasília visando a obtenção de recursos em relação aos dois viadutos, um na Beira Rio e outro na Avenida das Torres no cruzamento com o Jardim Itália, onde se experimenta outro ponto de engarrafamento”, afirmou.

Contorno Leste

Outra obra pensada pelo IPDU é o Contorno Leste. Puga afirmou que a ideia surgiu a partir da visualização da planta de Cuiabá, onde foi verificado que a cidade possui muitas rodovias e avenidas que levam o movimento do bairro ao centro.

“Para a pessoa trafegar entre uma região e outra da cidade, inevitavelmente, ela tem que ir ao Centro para poder pegar outra região e isso causa também um problema de tráfego. Nesse sentido pensamos na ligação por meio da Avenida do Contorno Leste que ligará a Região Sul, a Leste e o começo da Norte, passando por 20 bairros sem entrar no Centro”, destacou.

Puga explicou que o Contorno Leste tem início no Distrito Industrial, na Avenida Fernando Correa, passa pela subestação da Avenida das Torres, corta os bairros São João Del Rei e Brasil 21, passa o Rio Coxipó, bem como pelo fundo dos bairros Dr. Fábio I e II. Passa ainda pelo bairro 1º de março, vai encontrar uma estrada que leva hoje ao lixão perto do Barreiro Branco e chega até a Estrada de Chapada (MT-251).

“São quase 17,5 km, um investimento de aproximadamente R$ 90 milhões, que atende tranquilamente mais de 200 mil pessoas. Assim como as obras dos dois viaduto, essa outra proposta de ligação dos bairros levada à Semob, que concordou, bem como o prefeito Emanuel Pinheiro, tudo já está protocolado em Brasília, no aguardo de um posicionamento. Nesse interim fizemos a contratação dos projetos executivos, porque a próxima fase agora vai ser Brasília pedir para gente protocolar os projetos para aí, sim, analisar e autorizar a licitação. São obras bem importantes para Cuiabá”, esclareceu.

Mercado do Porto

Ainda de acordo com o presidente do IPDU está se pensando em outras situações para os 300 anos de Cuiabá. Segundo ele, o prefeito Emanuel Pinheiro tem tratado com bastante carinho a questão da cuiabania e do resgate de pontos históricos.

Puga citou como exemplo, a reforma do Mercado do Porto.

“O prefeito já lançou o projeto de requalificação, que foi elaborado pelo equipe do IPDU juntamente com profissionais de fora dada a algumas excepcionalidades da obra. O projeto está completo e protocolado na Caixa Econômica Federal aguardando análise. Já existem previstos R$ 11 milhões em emendas e a prefeitura deve desembolsar mais uns R$ 6 milhões”, frisou.

Torre Morro da Luz

No que tange ao Centro Histórico de Cuiabá, Puga afirmou que o IPDU trabalha em um projeto de revitalização do Morro da Luz e dentro dele há uma ideia de implantação de algo diferente, que seja referência para a cidade.

“Estamos querendo trazer um ícone para cidade, uma referência, algo diferente do que Cuiabá experimentou e já viu. E nesse ponto estamos trabalhando, é um presente que o prefeito Emanuel Pinheiro quer dar, que é uma torre que estamos chamando de Torre dos 300 Anos. A ideia é ser um diferencial para todas as capitais do Brasil, para ficar marcado, não só da gestão dele, mas a questão de Cuiabá como polo turístico que de fato ele é”, argumentou.

Ele citou também um trabalho de fomentar o turismo religioso no Centro Histórico.

“Temos várias igrejas no entorno do Morro da Luz. Temos uma mesquita, igrejas evangélicas e católicas. Ou seja, é uma cidade que dificilmente no mundo você ver com essa variedade de religiões tão próximas e convivendo tão bem de maneira harmoniosa. Isso é um potencial que a gente tem e que ainda não é explorado”, pontuou.

Orla 2

Outra obra de valorização da cidade de Cuiabá é a continuidade de revitalização da Orla do Porto.

“Temos um projeto que chamamos de Orla 2, que vai da ponte Júlio Muller até o cais do Porto. Teremos a reforma do cais do Porto propriamente dito. São projetos que também são concluídos aqui no IPDU”, explicou.

Plano Diretor

O IPDU trabalha ainda com a atualização do Plano Diretor de Cuiabá. O projeto está em estudo, será levado a discussão junto a sociedade por meio de audiências públicas e deve ser enviado a Câmara Municipal para aprovação até o fim do ano.

Galeria de Fotos:


AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados