Quarta, 09 de maio de 2018, 11h40
Tamanho do texto A- A+


Judiciário / operação Bônus

NACO e GAECO prendem deputado estadual e ex-chefe da Casa Civil

As ordens partiram do desembargador José Zuquim Nogueira

O Núcleo de Ações de Competência Originária (NACO) Criminal e o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), composto por membros do Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Militar , deflagraram nesta manhã a segunda fase da operação Bereré, batizada como “Bônus”. Foram expedidos, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, 06 mandados de prisão preventiva e 05 de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo e Brasília. As ordens partiram do desembargador José Zuquim Nogueira.

Dos seis mandados de prisão, quatro já foram cumpridos. Estão presos o deputado estadual Mauro Savi, que também foi afastado do Parlamento Estadual; o ex-chefe da Casa Civil, Paulo César Zamar Taques; Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo”. Todos estão sendo encaminhados ao Gaeco e, à tarde, por audiência de custódia.

A operação Bônus é resultado da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas. Tem como objetivo desmantelar organização criminosa instalada dentro do Detran para desvio de recursos públicos.

Quinto mandado de prisão preventiva é cumprido em Brasília

Foi cumprido mais um mandado de prisão preventiva da Operação Bônus. Acaba de ser preso o empresário José Kobori, em Brasília. Agora já são cinco mandados de prisão cumpridos. Dos seis expedidos, falta apenas um.

Os presos estão sendo encaminhados ao GAECO e, à tarde, passarão por audiência de Custódia.

Alvo do sexto mandado de prisão é considerado foragido

Agentes do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) estão, desde o início da manhã, tentando cumprir o sexto mandado de prisão expedido na operação Bônus. O alvo é Pedro Jorge Zamar Taques. Irmão do ex-chefe da Casa Civil, o investigado é considerado foragido.

Atualizada às 11h23

A Justiça acolheu entendimento do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio do Núcleo de Ações de Competência Originária (NACO/Criminal) e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), de que os deputados estaduais não possuem as mesmas prerrogativas de deputados federais e senadores, que só podem ser presos em flagrante por crime inafiançável e com aprovação de suas respectivas Casas Legislativas.

Na decisão que determinou a prisão do deputado estadual Mauro Savi, o desembargador José Zuquim Nogueira ressalta que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso deverá observar a vedação de expedir resolução ou quaisquer atos que importem em revogação da prisão preventiva decretada. O Supremo Tribunal Federal (STF) também mantém o mesmo entendimento. 

Atualizada às 11h39

Irmão do ex-chefe da Casa Civil, Pedro Jorge Zamar Taques, acabou de se entregar ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Todos os presos serão encaminhados para audiência de Custódia, que ocorrerá na 11ª Vara Criminal de Cuiabá, no início da tarde.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados