Sexta, 14 de julho de 2017, 10h41
Tamanho do texto A- A+


Judiciário / Soltura estendida

Desembargador determina liberdade de dois ex-secretários réus da Sodoma

A decisão foi proferida quinta-feira (14). Valdísio e José são réus na ação penal referente à quarta fase da Operação Sodoma que apura o suposto esquema entre os anos de 2011 e 2014, por meio de exigência de propina de empresários em troca de celebrações



O desembargador Alberto Ferreira, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ-MT), determinou a soltura do ex-secretário-adjunto de Estado de Transporte e Pavimentação Urbana, Valdísio Juliano Viriato e do o ex-secretário-adjunto de Administração, coronel José Jesus Cordeiro.


A decisão foi proferida quinta-feira (14). Valdísio e José são réus na ação penal referente à quarta fase da Operação Sodoma que apura o suposto esquema entre os anos de 2011 e 2014, por meio de exigência de propina de empresários em troca de celebrações de contratos com o Estado.


Em sua decisão, o desembargador pontuou que após a soltura do ex-governador Silval Barbosa, por ter confessado seus crimes e tido como líder da suposta organização criminosa, não há mais motivos para manter a prisão dos demais envolvidos.


"Ora, se o suposto maioral da organização criminosa [Silval Barbosa] já não mais apresenta qualquer sorte de perigo ao processo e ao grêmio social [juízo de periculosidade negativo!], a prisão preventiva do requerente passa, outrossim, a carecer de legitimidade, causando-nos, de resto, certa perplexidade o fato da juíza da causa, curiosamente, deslembrar-se de emprestar concretude ao princípio isonômico, com igual tratamento aos demais integrantes da agremiação criminosa, subordinados daqueloutro, suposto cabeça. Encimado nonsense!".

 

Alberto Ferreira determinou que cumpram medidas cautelares como, o uso do monitoramento eletrônico, recolhimento domiciliar no período noturno (das 19 horas às 6 horas) e nos dias de sábado, domingo e feriados, proibição de manter contato com qualquer investigado, réu ou testemunha relacionada a qualquer um dos feitos vinculados à Operação Sodoma, proibição de ausentar-se da Comarca e do País, devendo entregar seu passaporte, comparecimento (periódico) em juízo para informar e justificar atividades sempre que requisitado, devendo manter atualizado o endereço em que poderá ser encontrado.


Sodoma


A quarta fase foi deflagrada no dia 14 de fevereiro deste ano pela Delegacia Fazendária, que investiga fraudes à licitação, corrupção, peculato e organização criminosa em contratos celebrados entre as empresas Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática LTDA, nos anos de 2011 a 2014, com o Governo do Estado de Mato Grosso.

 

Segundo a Polícia Civil apurou, as empresas foram utilizadas pela organização criminosa, investigada na operação Sodoma, para desvios de recursos públicos e recebimento de vantagens indevidas, utilizando-se de duas importantes secretarias, a antiga Secretaria de Administração (Sad) e a Secretaria de Transporte e Pavimentação Urbana (Septu), antiga Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados