Sexta, 14 de julho de 2017, 14h54
Tamanho do texto A- A+


Geral / Várzea Grande

Combate ao Aedes Aegypti é permanente

No primeiro semestre do ano, 80% dos imóveis em Várzea Grande foram visitados pelas equipes Centro de Controle de Zoonoses

O último boletim de monitoramento das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti – zika vírus, chikungunya e dengue - divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande aponta que nesse primeiro semestre de 2018 acordado com dados do Levantamento Rápido de Índice para Aedes Aegypti (LIRAa) no município, de janeiro a 12 de julho deste ano, foram registrados em Várzea Grande 348 casos de zika vírus, 1.764 casos de dengue e 1.820 casos de chikungunya.

 

As ações de monitoramento de casa a casa resultaram visitas em 80% dos 133 mil imóveis da cidade que já foram inspecionadas pelas equipes de agentes do Centro de Controle de Zoonoses de Várzea Grande, o que representa 106,4 mil domicílios visitados. Este intenso e permanente trabalho reduz diretamente o índice de infestação do mosquito.

 

O objetivo da ação , de acordo com o gerente do Centro de Controle de Zoonoses de Várzea Grande, Ivan Nilson Rondon Mendes, é de alcançar a cobertura de 100% das visitas dos agentes de endemias aos imóveis de Várzea Grande, e manter esse trabalho permanente, a fim de eliminar as larvas já existentes e evitar novos criadouros.

 

“Sempre que recebemos uma notificação da Vigilância Epidemiológica Municipal do registro de algum novo caso nos dirigimos imediatamente para o bairro afetado mesmo que este bairro já tenha sido visitado anteriormente. Essa ação faz parte do Plano de Contingência Municipal de combate o mosquito Aedes Aegypti, em prática no município desde janeiro deste ano, que consiste no mapeamento da cidade dividida em quatro setores para atuação e dinamização do trabalho das equipes que visitam casa a casa realizando ações de bloqueios químicos, educação ambiental, prevenção e também do apoio dos serviços de outras pastas a exemplo da Secretaria Municipal de Serviços Públicos que trabalha com mutirões de limpeza nos bairros, principalmente em terrenos baldios”, detalha o gerente do Centro de Controle de Zoonoses de Várzea Grande, Ivan Nilson Rondon Mendes.

 

O Levantamento Rápido de Índice para Aedes Aegypti (LIRAa) é uma ferramenta que ajuda a mapear os locais com índices de infestação do mosquito no município e que, consequentemente, alerta sobre os possíveis pontos de epidemia da doença, segundo as localidades e risco.Estas informações possibilitam impedir o surgimento de novos casos, além dos depósitos predominantes.

 

“A população não pode descuidar, a vigilância tem que ser permanente. Os recipientes para armazenamento de água ao nível de solo ainda são os grandes vilões como criadores do mosquito.A exemplo das caixas d’água, tambor e tonel o percentual de criadouros é de 41,3%, seguido de tanques, ralos e sanitários com 30,4%, juntos atingindo 71,7% dos criadouros positivos. Por isso, é importante manter estes depósitos fechados e fazer uma vistoria diária. A redução no índice é reflexo do cuidado cotidiano. Se a atenção diminuir, os números podem aumentar", alerta Ivan.

 

Ivan Mendes lembra que além do trabalho intensivo e permanente do Centro de Controle de Zoonoses de Várzea Grande é necessário o engajamento da população contra o mosquito Aedes Aegypti a exemplo da forma correta de acondicionamento, acúmulo e destino final do lixo e o envolvimento das lideranças comunitárias, escolas e postos de saúde nas ações preventivas de combate ao mosquito.

 

“O número de casos de dengue, zica vírus e chikungunya, assim como o índice de infestação do mosquito não podem aumentar. Basta a participação de todos. E, para fortalecer ainda mais as atividades de controle ao Aedes, o município se engaja nas ações de controle e combate, aliadas às condições climáticas e de mobilização da sociedade”, declarou.

 

Seguem algumas recomendações permanentes que a população deve tomar: verificar se a caixa d’água está bem tampada, deixar as lixeiras bem tampadas, colocar areia nos pratos de plantas, recolher e acondicionar o lixo do quintal, limpar as calhas, cobrir a piscina, tapar os ralos e baixar as tampas dos vasos sanitários, limpar a bandeja externa da geladeira, limpar e guardar as vasilhas dos bichos de estimação, limpar a bandeja coletora de água do ar-condicionado, cobrir bem a cisterna e cobrir bem todos os reservatórios de água.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2013 - Todos os direitos reservados